Variedades

A difícil arte de conviver

Por Ruiz

Queridas, depois de uma semana de ausência, estou eu aqui de volta.

Essa semana me deparei com uma situação bastante corriqueira em nossas vidas, e decidi falar um pouco sobre isso.

Sabe aquela situação em que duas pessoas começam a se desentender e, com o passar do tempo, o conflito acaba aumentando e o que era um convívio positivo e pacífico se torna insuportável? Pois é, provavelmente nenhum dos dois vai se lembrar do motivo que iniciou o problema. O que resta é só o ressentimento e, muitas vezes, o ódio.

Será que você não está vivendo uma situação assim? Vejo isso entre irmãos, entre pais e filhos, entre casais, na empresa… A questão é que o Ser humano é assim mesmo. Está em nossos genes a necessidade de amizade, de afiliação – mas também da guerra. E por isso precisamos parar e pensar se não estamos agindo com os genes da guerra contra uma pessoa.

Veja também:  10 dicas de Disciplina Positiva para Bebês

E isso algumas vezes traz a violência e a intolerância. E vemos guerras de torcidas, entre povos, entre convicções políticas, religiosas. Pode ser que ninguém nem se lembre do primeiro motivo do conflito, mas acaba se arrastando por anos. Cada parte vai demonstrar os seus motivos, e é claro, vai se sentir o dono da razão.

Um dos valores que a sociedade moderna está deixando de lado é o perdão. Mas o perdão verdadeiro, de coração. Vemos na TV vizinhos se processando por causas fúteis, consumidores que reclamam de qualquer coisa, movimentos de ‘eu odeio’ nas redes sociais. Motoristas se socando nas ruas por causa de bobagens. Será que não estamos criando a sociedade do ódio?

Veja também:  REPASSA: Sacola do Bem - Consumo sustentável e economia colaborativa!

Que tal hoje perdoar aquele velho amigo que, por um motivo bobo, acabou se tornando alguém indiferente ou até um inimigo?

Beijos,
Ruiz

Paulista, 42 anos, formada em Tecnologia, otimista. Adoro falar sobre moda, beleza e, mais recentemente, sobre maternidade. Aqui escrevo sobre tudo que gosto, espero que gostem também!

6 Comentários

  • Betty Gaeta

    Oi Ruiz,
    Já vivi esta situação em diversos campos na vida e sei bem do que está falando, mas acredito muito no ser humano e não estamos vivendo a sociedade do ódio. Nunca fomos tão pacíficos na história da humanidade e com tend~encia a nos pacificarmos mais. Hj não temos mais máquinas de torturas e os enforcamentos não são mais espetáculos públicos onde se levavam até as crianças para assistirem. O único país “supostamente” civilizado que ainda admite pena de morte são os EUA.
    Acho que o ser humano tem muito para evoluir, mas estamos em um bom caminho.
    Beijos 1000 e uma 3ª-feira maravilhosa para vc.

    http://WWW.gosto-disto.com

  • Marielle

    Olá, vim agradecer a visita e o comentário, e tbm para dizer que concordo plenamente com td que disse, claro que já aconteceu isso comigo assim com várias pessoas, eu sempre paro pra refletir se estou errada e msm q nao esteja tentar perdoar, só assim terei paz… e as pessoas a minha volta tbm

    bjos e volte sempre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *