Variedades

Ciúmes: tempero ou veneno?

Por Ruiz

O ciúmes é um sentimento estranho. Faz bem para o ego de cada um, mas também acaba com relacionamentos. É o amar pelo amar, pela presença, pela posse e talvez até por amar mais a sí mesmo do que ao outro – amar o outro ao seu lado, e não simplesmente amar a pessoa.

Quando a gente ama alguém e quer que a pessoa amada esteja o tempo todo com a gente, exigindo exclusividade, não permitindo que faça isso ou aquilo. Isso é o mau ciúmes. O ciúmes que limita, que estraga, que chateia e que algumas vezes se torna obsessão.

Mas tem o ciúmes bom… não é gostoso um ciuminho recheado de charme? Não acha que faz bem para a relação?

Enfim, falei mil definições sobre esse sentimento que é tão presente em homens e mulheres. Talvez as mulheres demonstrem mais que os homens, que sempre tentam se fazer de durões. Mas o ciúmes é doença… Lembram daquela novela que a mulher era maluca de ciúmes pelo marido? Pois bem, muitas vezes esse sentimento que já foi tantas vezes cantado em melodias ou eternizado em poesia, acaba se tornando até um problema de saúde.

Agora, como cuidar que esse sentimento não estrague um relacionamento? Cultivar um relacionamento de confiança, cumplicidade e, acima de tudo, respeitando o espaço de cada um, é a receita do sucesso. Veja que o ciúmes não é só de outra mulher ou de outro homem. O maior problema de ciúmes que tenho observado é entre familiares. Pais que não respeitam a individualidade de um casal, familias que obrigam todos a participar de eventos que nem sempre são de desejo de ambos. Aí começam os problemas…

O ciúmes é uma demonstração de insegurança, de que algo não está bem. Se o seu companheiro/a se sente enciumado ou inseguro, a melhor coisa a fazer é dar a atenção necessária e demonstrar o quanto você gosta da pessoa. Mas também deixar bem claro que é necessário haver espaço para cada um viver sua própria individualidade.

Veja também:  Campanha de vacinação contra o HPV 2017

Se você sentiu ciúmes além do normal, a melhor coisa a fazer é conversar com o parceiro. Em uma ocasião calma, depois do momento em que o sentimento incomodou. Dividir o sentimento e tentar entender o que ocasionou, pode ser um excelente sinal de maturidade no relacionamento. Acho que esse é um bom caminho!

E para terminar a sabedoria popular, eternizada em frases de pára-choques de caminhão: “Mulher sem ciúme é como flor sem perfume”.

Beijos,
Ruiz

Paulista, 42 anos, formada em Tecnologia, otimista. Adoro falar sobre moda, beleza e, mais recentemente, sobre maternidade. Aqui escrevo sobre tudo que gosto, espero que gostem também!

9 Comentários

  • Li

    Já fui muuuuuuuuuito ciumenta e hj com maturidade fico nervosa mas me controlo ao máximo, depois q fico mais calma comento mas sem brigas.

    Uhuuuuu Paulinha já estou aquiiiii!!!
    Valeu miga por tudo!!!!
    bjus

  • Maara Benedito

    Eu sou ciumenta,mas dentro do normal,gosto de ser respeitada,mas não demonstro muito,mas acho que ciúmes nada mais é do que medo de perder …e se você gosta você não quer perder e tem medo,entendeu?
    hahaha

  • Shirley Mello

    Então Ruiz……

    Sou mega ciumenta, mas só com as minhas coisas. Eu conservo as minhas coisas e subo pelas paredes qdo empresto e as pessoas são relaxadas. Brigo, choro, etc.
    Agora em relação a namorado, não sou nada ciumenta, as pessoas falam q é pq não amo, mas não é verdade, as coisas são minhas, mas a pessoa não, tenho apenas uma relação com ela, mas ninguém é de ninguém, penso assim.
    Às vezes até faço um charminho e tal, mas não sinto ciúmes não, não sei se isso é bom ou ruim, mas enfim sou assim, até com amizades.
    Adorei o post!

    Bjs…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *