11 março, 2011

Depois do carnaval…

Por Ruiz

O assunto mais comum é a ressaca. Não só a ressaca etílica, mas também aquela mais difícil de passar: a ressaca moral.

Sempre escrevo meus posts na véspera da publicação, assim tem um pouco da minha sensação daquela data. E hoje ouvi muito sobre pessoas que tomaram todas e deram seus showzinhos onde estavam. E o pessoal do trabalho viaja sempre em bando, e o comentário corre solto…

Mais uma vez, sem falso moralismo. Mas o pessoal toma todas e acho que nem aproveita tanto o evento, já que muitos nem lembram do que aconteceu! E na quinta-feira tem que encarar os colegas de trabalho – algumas vezes os mesmos que presenciaram os micos.

E quando a pegação acontece entre os próprios amigos? Aí a coisa fica mais chata…

Nem preciso dizer o quanto isso pode ser constrangedor, não?
Pra quem aproveitou tudo numa boa, é a hora de descansar, não? Aproveitar esses dias pós-folia pra se alimentar bem e descansar. Cuidar dos pés, quase sempre judiados, cabelos, pele…

E quem está curtindo aquela ressaca moral, não tem muito o que fazer. Talvez férias, conjuntivite, sarampo ou qualquer coisa que tire o incauto de circulação. Mas algumas vezes o estrago já foi feito: Vários apelidos de ‘fulana maçaneta’, ‘fulano esponja’, ‘garoto Juca’ e tantos outros são criados nessa época. Espero que não seja o seu apelido para 2011!

Se eu tivesse mesmo me enfiado em uma cova, como disse na semana passada, estaria saindo hoje. E não teria que ouvir aquelas apurações chatíssimas dos desfiles. “Deeez!!! Nooota Deeeeezz!!”. Gente comemorando, gente falando palavrões ao vivo por não ter sido a primeira colocada.

E esse é o Carnaval que faz o Brasil tão especial. Se fosse tudo tão certinho quanto eu gostaria que fosse, esse país teria outro nome e estaria em outro continente. Ainda bem que não é do meu jeito!!

Beijos,
Ruiz