Variedades

Grandes palavras

Por Ruiz

O nosso assunto de hoje é algo que incomoda algumas pessoas, enquanto para outras parece algo bem natural. Não estou aqui fazendo qualquer julgamento de valor ou críticas, elogios e etc. O Ruiz continua sendo uma pessoa democrática e que respeita a opinião de todos/todas! 🙂

Direto ao assunto: Uma pessoa disse pra mim que tem horror a mulheres que dizem palavrões. Para ser bem honesto, eu também tenho um pouco desse horror – acho que palavrão é como bater palmas: tem que ter a ocasião certa, a hora certa e a intensidade certa. Caso contrário, fica totalmente descabido.

Se para os homens é algo muito questionável proferir impropérios às genitoras das pessoas, solicitar a inserção de objetos, esbravejar nomes feios ou sugerir que alguém se dirija a algum lugar, isso é muito mais estranho em uma menina.

Veja também:  Casamento Real (Parte I)

Não adianta… não consigo achar sexy uma moça que conversa socialmente como se estivesse falando num campo de futebol sobre uma falta na área não apontada pelo árbitro. Não tem jeito, eu não gosto, acho feio. É claro que não precisamos ser pudicos o tempo todo, mas acho que tudo tem sua hora e lugar, não?

Esses dias três moças entraram no elevador e ‘abriram o dicionário’. Confesso que até aprendi um palavrão novo (foi bem instrutivo, por sinal). Mas não gostaria de que uma delas estivesse na mesa de almoço no domingo falando daquela maneira. Acho que ninguém quer.

E as gírias? Bem, acho que a língua portuguesa, como qualquer outra, se ajusta ao tempo, às tendências, etc. Mas ouvir as meninas se tratando como ‘e aí, mano?’, ‘como vai, tio?’ ou qualquer outra frase oriunda dos hits do Racionais MCs, não me atraem. Não conheço alguém que se sinta atraído.

Veja também:  10 Músicas para Animar a Malhação

Nem mesmo assistindo filmes clássicos como ‘Cidade de Deus’ ou ‘Tropa de Elite’ me faz acostumar com as ‘grandes palavras’.

Estou amargo hoje. Acho que foi o frio de São Paulo! 😛

Beijos e bom final de semana,

Ruiz
Twitter: @ruiz_tb
E-mail: [email protected]

Paulista, 42 anos, formada em Tecnologia, otimista. Adoro falar sobre moda, beleza e, mais recentemente, sobre maternidade. Aqui escrevo sobre tudo que gosto, espero que gostem também!

18 Comentários

    • ruiz

      Oi Jani!

      Acho que isso é muito da pessoa, né? Falar palavrão às vezes é a característica de cada um. Acho que sou um pouco assim… nem mesmo quando estou p.. da vida eu solto um palavrão avulso!

      Beijos,

      Ruiz

    • ruiz

      Então, Si

      Eu concordo com você! Tem horas que a gente precisa mesmo extravazar! Eu tenho um xingamento que é muito característico meu (quem me conhece sabe qual é!). Mas não é um palavrão. As pessoas até riem!

      Gírias são mesmo muito chatas… Sei lá, eu não gosto. Acho até mais feio do que palavrões. O estilo ‘malandro’ não me chama atenção. 🙂 Mas isso é muito pessoal.

      Beijos,

      Ruiz

    • ruiz

      É Ale…

      Tendo a concordar com você. Acho que tem ocasiões que é até engraçado! Mas o tempo todo eu acho chato, indelicado e feio.

      Beijos e obrigado pela visita!

      Ruiz

  • camille

    sou contra palavroes, nao falo, mas nao discrimino quem fala. mas concordo que, qnd exagerado, fica pior ainda. mas nao faço distinçao de sexo. isso de achar que mulher falando palavrao eh pior que homem, ainda ta associado àquela idéia de séculos anteriores da mulher que é domesticada, toca piano, faz crochê e não usa calça. se o palavrao de certa forma “ajuda” o homem a se expressar, desabafar, etc., pq a mulher nao pode ter esse direito? pq nao vai ser sexy? se for afetar o sex appeal da mulher eh melhor entao que ela nao se expresse? eu, como mulher, prefiro poder me expressar do que ser reduzida a objeto sexual.

    • ruiz

      Oi Camille,

      Sou obrigado a concordar com você: acho que a expressão de uma pessoa é a coisa mais fundamental que existe. É através dela que sabemos sua personalidade, sua atitude e etc.

      Talvez eu tenha me concentrado demais sobre não ser atraente uma mulher ‘palavroeira’. Mas não quis reduzir a figura feminina a um objeto. Desculpe!

      Beijos,

      Ruiz

    • ruiz

      Oi Teca,

      É isso aí! Se for algo que está dentro do contexto, acho que não tem problema!

      Beijos,

      Ruiz

    • ruiz

      Oi Gabs,

      Sabe que ainda hoje alguém me mostrou que, em alguns poucos casos, é até adequado um palavrão? Não que eu acho bonito, mas no caso de hoje, deu a ênfase necessária para a pessoa dizer que não ia fazer algo (já imaginou, né?)

      Beijos,

      Ruiz

    • ruiz

      Oi Lu!

      Nervosinha? 🙂 Todos têm o seu ‘dia de fúria’, não?
      Acho até natural, quando a gente chuta a quina da cama, o time do coração perde um gol ou quando derrubamos aquele prato de porcelana no chão… Só não acho legal transformar isso numa constante!

      Beijos,

      Ruiz

    • ruiz

      Oi Gih!

      Acho que esse é o ‘xingamento desabafo’. 🙂 Esse é saudável até!
      Quem convive comigo sabe que eu tenho um adjetivo que eu adoro soltar quando, igual a você, levo uma fechada ou sou insultado por alguém. Só que é algo engraçado, que não ofende a pessoa.

      Certa vez, uma mulher (não estou sendo machista, tá?) atravessou o farol vermelho, bateu de muito leve na traseira o meu carro, mesmo eu estando parado, e desceu do carro pra me xingar. O que eu fiz? Mostrei a língua pra ela… Voltou pro carro rindo!

      Beijos,

      Ruiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *