Moda & Estilo,  Variedades

Lingerie: o que usar e o que não usar!

Por Ruiz

Uma leitora trouxe essa ótima e pertinente questão. Talvez muitas de vocês tenha passado pela situação de querer escolher uma roupinha íntima para uma ocasião especial e ficou em dúvida de qual a preferência do companheiro.

Bom, vou tentar tratar esse assunto com a merecida leveza e delicadeza. Já vou começar com algo que não é segredo para você, para sua irmã menor ou para sua avó: nunca, jamais, em nenhuma hipótese (nem sob ameaça) use uma peça íntima que possa ser confundida com um short de ginástica – falando claramente, calcinha do tipo vovó, só se for naquela sua viagem solitária para o Tibete ou naquela semana que você tiver certeza que ninguém, seja homem ou mulher, veja você nesses trajes. Pronto, falei!

Já em relação aos sutiãs, que chamo carinhosamente de ‘porta-jóias’, a chance de errar é um pouco menor em relação ao tamanho. Só é preciso ter cuidado com materiais, enchimentos, estruturas ou outros artifícios que podem fazer ter o efeito ‘engana-trouxa’.

Acho que a roupa íntima varia muito em função do gosto pessoal da mulher e de seu companheiro. O homem tem uma visão abstrata extremamente ruim. Não adianta perguntar se ele gosta de rendas italianas com meio bojo e enchimento de silicone e alças cruzadas. Ele provavelmente não vai saber o que é.

Vou dar uma dica, que talvez nem todas vocês gostem. Mas uma boa ideia para entender a preferência de seu companheiro é assistir qualquer um desses programas que têm desfiles de lingerie. São raras as noites que eu ligo a TV e não tem um desfilezinho desse na Rede TV ou em outros canais. Pergunte a opinião dele sobre qual ele gostaria de ver você usando, e controle seu ciúmes ao passar alguma mulher de forma mais ‘voluptuosa’ na tela.

Acontece comigo: algumas vezes vejo uma peça na vitrine ou na TV e acho terrível. Mas quando está recheada, me parece ótima. Dizem as mulheres que as cores brancas não são atraentes. Acho justamente o contrário.

Veja também:  A alegria do Carnaval

Agora um pouco da opinião Ruizística: rendas em excesso, enchimentos que tornam tudo muito artificial, coisas muito coloridas ou meigas demais (que homem gosta de ver estampas de ursinhos ‘naquele’ momento?). Cores são legais, mas é menos provável agradar com cores muito sem graça, pastéis… Se for só para o momento íntimo, acho que vale variar bastante! Sempre experimentar coisas novas! Gosto da cor branca, de peças que valorizem as curvas, rendas bonitas e bem feitas… Mas isso é questão muito pessoal.

Acima de tudo, você precisa se sentir o máximo. A roupa íntima faz diferença para seu companheiro, mas tenha certeza que ele quer se ver livre delas o mais rápido possível! rs

Beijos,
Ruiz

Paulista, 42 anos, formada em Tecnologia, otimista. Adoro falar sobre moda, beleza e, mais recentemente, sobre maternidade. Aqui escrevo sobre tudo que gosto, espero que gostem também!

15 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *