Vamos falar sobre prazer?

Senta que lá vem textão!

Com o foco no Outubro rosa, mês onde chamamos a atenção para a saúde da mulher, sobretudo o câncer de mama, vamos aproveitar para trazer conteúdo sobre sexualidade e saúde íntima.

Que tal falarmos sobre prazer?

No último dia 17, fomos convidadas a uma oficina de sexualidade da mulher e vamos trazer para vocês o conteúdo, que foi passado de uma maneira leve, mas muito séria.

A casa Prazerela é um espaço que traz um conceito acolhedor, feminino e muito revelador, foi idealizado pela Mariana Stock, que, em busca por autoconhecimento, sentiu a necessidade de trazer mais informações e dividir experiências.

O evento contou com a participação da DKT Brasil, detentora das marcas Prudence e Andalan, que conta com a maior linha de camisinhas do mercado, além de outros produtos como anticonceptivos intrauterinos, géis lubrificantes, estimuladores, coletor menstrual descartável e lenço umedecido.

Foi um debate super gostoso, abriu meus olhos, me chamou para dentro de mim e gostaria muito de dividir isso com vocês!

Prudence: Lenços umedecidos e coletor menstrual descartável

Debatemos de forma saudável, lúdica e acolhedora, num ambiente descontraído e muito aconchegante sobre o empoderamento da sexualidade feminina.

Não gosto muito de usar o termo “empoderamento”, pois ele anda muito gasto, é utilizado além do necessário e traz ideias equivocadas sobre sua aplicação, mas vale o convite para reflexão… vamos lá?

As mulheres buscam o poder?
O poder implica em luta, em desistência, sucumbência, e é ligado à submissão.

Ora, fomos submetidas ao poder exercido pelo homem e convivemos com o machismo tão arraigado na sociedade, que muitas práticas machistas são perpetuadas sem ao menos nos dar conta. Portanto, o poder não vai dar certo para mudar a sociedade, precisamos de mais!

Precismos buscar a POTÊNCIA, eis que ela é comunitária, une, agrega valores a todas, uma potência só tem a acrescentar e nunca a retirar. A melhor forma de atingirmos essa potência é com a união, com a conexão com nossa esquecida e adormecida sexualidade, para assim revivermos a força da mulher.

Quando pensamos em PRAZER, algumas coisas vêm à nossa mente, mas quando falamos em DOR, vêm muito mais, principalmente as pertencentes ao feminino, como gravidez, parto, amamentação, cólicas e sintomas menstruais.

Coincidência?

O prazer é visto como tabu, de modo que a dor entra em seu lugar, dando espaço ao proibido, profano e pecaminoso. Sempre temos alguma ferida interna ligada à sexualidade, repleta de dúvidas e incertezas.

Nós somos ensinadas desde muito jovens que a sexualidade precisa ser advertida, reprimida, que é errado, feio, sujo, perigoso e altamente culpável. Também precisamos sempre estar lindas, ter boa postura, servir, agradar, não nos unir, pois a outra é mulher concorrente, pode tomar nosso lugar, é dominada pela inveja.

Somos estigmatizadas como possuidoras de um corpo do desejo, mas nos esquecemos que temos também um corpo desejante.

Quais são os seus desejos? O que você deseja? Se questione e busque aí dentro suas respostas!

Diante de tudo isso, como manter e acessar nossa potência como mulheres se não podemos nos aliar umas às outras?

Como ter prazer em ser mulher?

Precisamos nos conectar com o prazer de SER mulher, que é deixado de lado pela cobrança.
Cobrança em ser a melhor em tudo, em ter um bom emprego, um bom salário, um bom casamento, bons filhos, ser uma boa dona de casa, ser boa de cama.

Mas como vamos lembrar de nós se sempre somos cobradas a cuidar dos outros?

Precisamos parar e focar em nós próprias, sentir a nossa beleza, sentir a nossa força, sentir o corpo, a pele, a vulva.

Cada vulva é única, é especial e traz um mundo de possibilidades.

Esqueça o papo da “vulva ideal”, recentemente publicado por um grande jornal, publicação esta muito tendenciosa e mal articulada, diga-se de passagem!

Uma coisa é ter a necessidade de alterar algo nela que machuque, incomode na prática de exercícios, como andar de bicicleta, e outra bem diferente é ter que mudá-la para agradar terceiros, ajustá-la ao “padrão” social estabelecido.

Ela precisa ser funcional e trazer prazer!

Mulher é um ser tão maravilhoso que cada vulva é única e todas são lindas!

A vulva ideal é a sua, mulher!

Já olhou para ela hoje?
Pegue um espelhinho e se conheça, tire uma horinha só para você, para seu corpo, para se apreciar.
Passe hidratante no seu corpo, em cada parte deste seu corpo lindo e único!

Mesmo que você tenha um parceiro, se ame, se delicie em si mesma!
Tem coisa mais gostosa que o amor próprio?
Não, porque esse sempre vai ser correspondido!

Além de tudo, ainda temos o clitóris, que é um órgão exclusivamente destinado ao prazer.
Ele precisa e merece toda nossa atenção, pois é muito delicado e tem muito mais receptores e terminações nervosas do que a nossa íris, por exemplo!
Ele foi um presente especial e só temos a agradecer e reverenciá-lo!

Vamos passar a conhecer mais nosso corpo, nossa pele, nossos desejos, perder a vergonha, o medo, a insegurança, descobrir e enfrentar nossos medos, nossas neuroses e trabalhar internamente, para que tudo isso faça desenvolver nossa POTÊNCIA.

Prudence: preservativos diferenciados e massageador.

O prazer nos move, nos traz para a imersão em si, auxilia a enfrentar a sociedade que sempre nos deslegitima.

O que te dá prazer na vida?

Gostaram do post e querem mais conteúdo como este?
Me conta tudo!!

Sobre as marcas mencionadas:

DKT – Site | Facebook | Instagram

Prazerela – Site | Instagram | Facebook | Youtube
Casa Prazerela – Rua Rifaina, 80 – Vila Anglo Brasileira, São Paulo – SP, 05029-020 – Telefone: 3864-4844

8 thoughts on “Vamos falar sobre prazer?”

  1. Obrigada pelo post, ele veio corroborar com meu pensamento desde a vida toda. (inconscientemente). Todas juntas pela mesma causa, mas se não forem todas não tem problema, o importante é que pouco a pouco cada uma se permita se conhecer melhor.
    Beijos meninas.

    1. Rosalina, fico muito feliz por ter trazido essa reflexão com o post!
      Espero me inspirar mais e poder trazer conteúdo relevante para nos unirmos cada vez mais!
      Beijão!

  2. Nath, arrasou no post!
    Também saí daquela palestra muito pensativa sobre tudo que tivemos oportunidade de conhecer acerca desse assunto tão amplo e tão rico, curiosa por saber mais e participar de mais conversas esclarecedoras como aquela da Mari. Apaixonei pelo assunto, to até querendo saber mais sobre o Tantra.
    Obrigada por essa colaboração do amor aqui no blog <3
    Bjão

    1. Miga, eu me senti renovada com esse evento!
      Precisamos explorar mais o tema e espalhar esse amor com nossas lindas leitoras!
      Foi uma honra e um orgulho poder me inspirar e dividir isso com vocês!
      Eu só tenho gratidão a você e ao universo por tantas experiências gratificantes! <3

  3. Nath,

    Com certeza você deu voz ao que muitas mulheres gostariam de dizer, porém se calam reprimidas por essa sociedade machista e patriarcal! Precisamos cada vez mais nos unirmos para quebrar os tabus e preconceitos .. Juntas somos mais fortes!

    Beijoss

  4. Texto maravilhoso, que vem de encontro com meu momento!
    Embora seja extremamente feminina, de forma até exacerbada as vezes rs! Já desejei muitas ter nascido como homem, apenas para não ter toda complicação feminina, sempre pensei ser mais fácil, mas há algum tempo tenho refletido e pensado em todos os prazeres de ser mulher. Buscando prazeres que eu mesmo não conhecia e acima de tudo me conhecendo como proproe o texto! Amei ❤

    1. Tamiris,
      Minha querida, fico feliz em ter atingido seu momento!
      Também ando vivendo esse momento e me questiono sobre muitas coisas, o que bate mais forte é o machismo mesmo… ser mulher é ter medo, mas precisamos mudar isso! Temos que ter aquele orgulho de sermos essa maravilha!!
      Beijão!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *